Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mar de devaneios

Perdida no oceano de pensamentos, encontrei-me a mim e o que queria ser.

Perdida no oceano de pensamentos, encontrei-me a mim e o que queria ser.

05
Out22

Será a frustração o novo síndrome do jovem do século XXI?


Effy_Edwards

Já perdi a conta de quantos textos iniciei e deixei a meio. Já perdi a conta de quantos rascunhos tinha no meu bloco de notas, e de quantas vezes pensei em pedir ajuda. Já perdi a conta de quantas vezes comecei a falar e disse "sei que é estupidez da minha cabeça". Já perdi a conta de quantas vezes me disseram "Não podes pensar assim". Já perdi a conta de quantas vezes sucumbi ao vicio do tabaco e fumei "mais um", sendo que já não sou fumadora activa. Já perdi as vezes que comecei a rir e desatei a chorar, num misto de emoções. Honestamente, sinto-me a descarrilar. E o problema é que me está a empactar no trabalho, onde eu tinha e tenho mais brio e orgulho. A ideia que eu tenho é que a Effy que as pessoas vêem no trabalho é uma Effy acelerada, desorganizada, faminta para fazer tudo e mais alguma coisa, que acaba por ser perder no meio de tanta coisa. Basicamente não consigo ter calma. Não consigo parar e ponderar, porque se o fizer os pensamentos consomem-me. 

É um misto de vergonha, de orgulho ferido e de tudo e mais alguma coisa. Sinto-me uma barata tonta, uma traça à procura de luz que se esbarra contra a janela, vezes e vezes sem conta. Só me sinto bem quando não estou cá mentalmente, ou seja, estou embriagada por alguma coisa, trabalho, álcool, amor, amigos ou séries. Quando estou sozinha com o meu cérebro as coisas descarrilam. É algo tão forte que me consome por dentro, aos poucos. Se me perguntarem-me o que eu sinto, acho que eu nem própria entendo, é uma tremenda ansiedade e frustração. É a sensação de chegar ao fim do arco-íris e não encontrar o pote de ouro, é a sensação de sentir que os teus planos de vida falharam e que não sabes, nem consegues formular novos, porque só há um arco-íris. E agora? Vive-se sem plano? Espera-se até ser possivel? E será que vai ser possível? Quando é que vai acontecer? 

Há dias que tento lutar contra isso, outros que simplesmente aceito e fico prostrada a ver séries sem pensar em mais nada. Há dias que parecem que vão ser horriveis e entre o trabalho e as reuniões as coisas melhoram. 

E o pior de tudo, é que não vejo saída deste labirinto infernal. O dinheiro não chega para sair de casa, a vida amorosa e o trabalho não permitem ir viver para outro país e eu não consigo me conformar com a situação. Mas depois lá vem a vergonha a berrar na minha cabeça : " Há pessoas tão piores que tu, devias ter vergonha". E assim têm sido os meus dias. 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub