Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mar de devaneios

Perdida no oceano de pensamentos, encontrei-me a mim e o que queria ser.

Perdida no oceano de pensamentos, encontrei-me a mim e o que queria ser.

24
Jul22

Aqui estou eu


Effy_Edwards

Dei por mim revoltada, cansada, desanimada. Apesar da estabilidade, o meu nivel de ansiedade disparou. Ansiedade por estar parada, ansiedade por não estar a fazer mais, ansiedade por estar a gastar dinheiro quando deveria estar a poupar, ansiedade por não saber para onde vou, ansiedade por querer estar noutro lugar. Outrora gastar dinheiro era um presente para mim. "Mereces este jantar", "Mereces estas calças", "Mereces esta bebida". Era para compensar todo o tempo que me era consumido pelo trabalho. Agora o meu cerebro julga-me, a minha cabeça trabalha sem eu querer e questiona-me várias vezes o que eu estou a fazer. 

Além disso, cada vez mais percebo que o tempo é uma construção. Eu antes acordava as 6h da manhã, ia para o meu primeiro emprego, as 19h ia para o meu segundo emprego e chegava às vezes à meia noite e repetia isso, dias e dias, sem fim de semanas. Contudo, às vezes o meu cérebro acha que era mais concretizada que sou agora. Sei que não passa de uma ilusão pois passava pouco tempos com os meus pensamentos. Nos transportes via séries, no trabalho trabalhava sem parar e no ginásio ouvia música aos berros. 

O trabalho era o meu refúgio. E agora aqui estou eu, com um trabalho saudável, que me deixa pensar e reflectir, e eu dei conta que não sei quem sou. Ironia, estupidez. Tenho o que sonhei, e mesmo assim não me parece suficiente. Dei conta agora que me esqueci que isto era o meu sonho, nem há dois anos atrás. Contudo, aqui estou eu.  

Dei conta que estou revoltada e triste com esta sociedade. Contudo sem soluções imediatas. Mas eu não quero ser essa pessoa. Não quero ser a pessoa que está sempre a reclamar sem fazer nada. Quero sonhar e acreditar.  

Por isso hoje decidi que vou colocar as mãos à obra e mudar a minha mentalidade. Tenho tanta coisa negra aqui no meu cerebro. Antes tudo era um mar de possibilidades, agora tudo é um mar de problemas. Não pode ser. 

Como o vou fazer? Não faço ideia. Mas aqui estou eu, uma vez mais, a tentar mudar a minha vida. 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub